Fórum MJ Art

Seja bem-vindo!

O Fórum MJ Art é totalmente dedicado ao eterno Rei do Pop, Michael Jackson.
Para ter acesso a todo nosso conteúdo, basta efetuar seu login ou se registrar.

Venha fazer parte da nossa família!


    Resumo da 4ª Semana do Julgamento

    Compartilhe
    avatar
    Tay
    Administrador
    Administrador

    Mensagens : 520
    Data de inscrição : 31/01/2013
    Idade : 30
    Localização : Rio Grande do Sul

    Resumo da 4ª Semana do Julgamento

    Mensagem por Tay em Sab Fev 23, 2013 7:58 pm

    Resumo da 5ª Semana do Julgamento

    13º DIA DE JULGAMENTO - (19/10/2011)



    - (@MJNABrasil) Joe, Katherine, Rebbie e Randy Jackson estão na corte para acompanhar o julgamento.
    - Um pequeno atraso no início, pois o juiz e advogados estão discutindo questões referentes ao julgamento.
    - De acordo com a SkyNews, o juiz e advogados estão discutindo porque a defesa se opôs a um vídeo sobre como administrar o propofol corretamente que a promotoria quer mostrar.

    A Corte entra em sessão:

    - David Walgren assume questionamentos ao anestiologista expert em propofol Dr. Shafer.
    - Artigo sobre estudo de farmacocinética de Propofol foi mostrado. Dr. Shafer está explicando as conclusões deste estudo para os jurados.
    - Shafer estudou a influência da idade sobre a farmacodinâmica do propofol (o quão poderoso é uma droga, dependendo da idade do paciente).
    - Dr. Shafer diz que também estuda as drogas Lorazepam e Midazolam.
    - Dr. Steven Shafer já publicou mais de 160 artigos sobre anestesia - freqüentemente fala em eventos como um perito.

    - (Narração: Terra) O médico afirma que não cobra por muitos de seus serviços, e que está no tribunal para tentar melhorar a confiança em médicos. "Todos os dias, pessoas me perguntam se eu vou injetar as droga que deram para Michael Jackson. É um medo diário, e não é necessário", afirmou
    - 14h48 Pausa no depoimento do dr. Steven Shafer.

    - 15h57 O julgamento é retomado. Shafe continua seu depoimento, o último depoimento da acusação

    - O anestesista explica para o júri como as injeções de Propofol são feitas. Shafe faz uma demonstração com um vidro do medicamento
    - Shafe faz uma demonstração que deixa claro que, para tirar o líquido do propofol da embalagem - que é feita de material resiste, diferentemente de sacos de plástico de soro, que se contraem - é preciso injetar ar na seringa e então puxar mais líquido. A operação não é tão simples
    - Com isso, a acusação quer provar que o medicamento não pode ser aplicado por qualquer um, e errar na dose é algo difícil de ocorrer
    - A acusação exibe agora um vídeo sobre segurança em injenções. É preciso ter uma série de equipamentos de segurança caso seja necessário ressuscitar a pessoa, como um laringoscópio. O quarto também deve estar preparado
    - O médico explica agora a importância de um tubo endotraqueal. "Um anestesista precisa ter sempre isso em mãos", afirma. Segundo Dr. Shafe, é necessário ter também um equipamento de oxigênio em mãos.
    - O vídeo mostra, mais uma vez, como o Propofol deve ser colocado na seringa."Não é uma tarefa trivial", diz
    - "Você tem que sempre dar assistência ao paciente, e sempre deve perguntar como ele está", diz o médico
    - Dr. Shafe fala que, em toda ocasião, o paciente deve assinar um documento em que autoriza a medicação
    - Para o júri, o médico afirma que é necessário estar preocupado com o bem-estar do paciente em todos os momentos. O vídeo mostra, mais uma vez, todos os procedimentos que devem ser feitos durante uma anestesia
    - "É uma responsabilidade fundamental", diz o médico, sobre injeções. Ele continua narrando o vídeo, que simula uma anestesia
    - Shafe afirma que é preciso documentar todo o processo, e anotar cada etapa da medicação a cada 5 minutos
    - "Apneia significa um longo tempo sem respirar. Nesse caso, é necessário fazer algo", diz. O vídeo mostra o médico forçando o oxigênio no paciente com uma máscara de ar
    - O vídeo mostra agora o que acontece quando o coração de um paciente para por conta da medicação. O anestesista precisa então chamar ajuda
    - O paciente então deve ser ressuscitado através de primeiros socorros como ventilação dos pulmões e medicamentos

    17h01 O julgamento entra em recesso

    - (@MJNABrasil) A corte já voltou do recesso. Dr. Shafer está respondendo perguntas sobre o vídeo exibido antes.
    - "Dr. Schafer: ..tem que se preparar para o pior cenário possível. Você tem que assumir que o paciente vai estar no limite de sensibilidade.
    - Dr. Shafer: "MJ morreu porque ele parou de respirar"
    - Shafer escreveu um relatório descrevendo os desvios múltiplos de cuidado neste caso.Violação inconcebível, violou os direitos dos doentes.
    - A coisa mais provável que tenha acontecido com MJ é constrição das vias aéreas. Língua tetia caído para o fundo da sua garganta, Dr. Shafer
    - Dr. Shafer: "Se Murray tivesse voltado ao quarto depois de ter se afastado dois minutos e Michael não estava respirando, ele poderia ter sido salvo"
    - Dr. Shafer: A elevação do queixo ou algo simples para mover a língua pode ter sido tudo o que era necessário para ajudar Michael Jackson.
    - Dr. Shafer pensa que Murray planejou dar a MJ 100ml de propofol - e não 25mg como Murray diz que deu.
    - Dr. Shafer diz que com base na quantidade de propofol comprados p Murray, pode-se estimar que grandes doses de propofol foram dadas à noite.

    - (Narração: Terra) O médico aponta agora que a quantidade de Propofol comprada para o cantor era muito grande, e que poderia estragar. A defensa protesta, mas o juiz não aceita
    - "A falta de aparelhos de sucção é preocupante", aponta o médico. Ele afirma que, com as injeções de Propofol, era necessário ter equipamentos que auxiliam em situações como sufocamento por vômito
    - A falta de uma bomba de infusão (ela controla a taxa de administração do propofol) é apontada como crucial para a morte de Michael Jackson

    - (@MJNBrasil) Dr. Shafer: Uma vez que uma garrafa de Propofol é aberta, deve ser usada dentro de 6 horas devido à possível contaminação.
    - O oxímetro de pulso usado no caso de MJ não tinha um alarme. Shafer diz que isto foi inapropriado.
    - Dr. Shafer: grande risco de vômito se o paciente comer 8hrs antes sadação por Propofol. Isto pode causar obstrução das vias aéreas.
    - Dr. Shafer: Um oxímetro de pulso apropriado (com alarme) "teria salvo a vida de Michael Jackson"
    - Dr. Shafer: Não ter todos os medicamentos necessários em caso de emergência é uma violação grave do padrão de atendimento.
    - Dr. Shafer: Não tomar notas é uma violação flagrante. Manter registros do que você está fazendo não é opcional.
    - Dr. Shafer: O paciente tem o direito de saber o que foi feito e um paciente sem registro médicos é negado este direito

    - (narração: Terra) Shafe aponta que, no caso de Michael, era possível parar de dar Propofol, já que o o músico não se encontrava em cirurgia
    - "Michael tem o direito de ver o que o médico lhe deu. E, sem relatório médico do que aconteceu, esse direito foi negado. E, mesmo com a morte de Michael, a família tinha esse direito também - e também foi negado"."Eu sei como me sentiria se meu pai, irmão ou filho morresse e os médicos dissessem, 'não sabemos, não temos relatório'", continua a testemunha
    - "O interesse do paciente deve vir antes. É assim que fazemos", diz
    - O anestesista afirma que o médico não deve aceitar as ordens do paciente, e sim pensar no que é melhor para ele
    - O médico compara a atitude submissa de Murray com a de um diarista ou faxineiro. "Ele agiu como um empregado, e não exerceu o julgamento médico"
    - Dr. Shafe afirma que Murray não deveria ter saído no quarto quando Jackson dormiu, e nem ter conversado no telefone

    19h49 O processo entra em pausa

    20h16 Volta do recesso. Dr. Steven Shafer é ouvido pela promotoria

    -Dr. Shafer diz que a família tem o direito de saber o que aconteceu com Michael Jackson enquanto a administração de Propofol. "E isso foi negado", comenta
    - O especialista em Propofol também disse que o resgate devia ter sido chamado no momento em que o "desastre" aconteceu
    - "Isso é imperdoável, eu nem sei o que falar", diz Dr.Shafer sobre as ações de Dr. Murray em não chamar o resgate no dia 25 de junho de 2009
    - "Ele sobreviveria com problemas cerebrais", explica o anestesista especializado em Propofol se o resgate tivesse sido chamado imediatamente a sua parada respiratória
    - O médico explica que masagem cardíaca na cama não é efetiva. "Você precisa comprimir o tórax e no calção isso é impossível", diz
    - "Ele devia ter primeiro ligado para o resgate e colocado Michael no chão para fazer massagem cardíaca", diz Dr. Shafer

    - (@MJNABrasil) Dr. Shafer: Michael Jackson ficou sem oxigênio e é por isso que o coração parou de bater.
    - Dr. Shafer: Fazer boca-a-boca por um médico é uma grave violação. MJ precisava de oxigênio, e não ar expirado de Murray
    - Dr. Shafer: Murray levantou as pernas de MJ. Foi um desperdício de tempo, fazemos isso quando é necessário mais sangue no coração. MJ precisava de oxigênio nos pulmões.
    - Dr. Shafer: Flumazenil é um antídoto que pode reverter o efeito de uma overdose de sedativos (não funciona com Propofol, que é anestésico).
    - Dr. Shafer: "Eu acho que Murray deu Flumazenil porque ele percebeu que tinha dado Lorazepam demais"
    - Shafer: Quando você esconde informações sobre Propofol para paramédicos e médicos na UCLA é imperdoável.

    -(@MJNABrasil) Shafer: O fato de Murray disse que testemunhou a parada induziu ao erro os médicos da emergência, porque eles assumem que foi uma parada cardíaca.
    - Dr. Shafer: O médico é obrigado a dizer tudo o que sabe em caso de emergência. Nada menos do que toda a verdade é indesculpável. Dr. Shafer: O paciente tem o direito de esperar que o seu médico seja honesto.
    - Dr. Shafer diz que o tratamento de Murray não faz sentido. Ele administrou Lorazepam e Midazolam, quando essas drogas são quase idênticas.
    - Dr. Shafer: A escolha dos medicamentos combinados sugere que não há entendimento sobre as drogas que estão sendo usadas.
    - Dr. Shafer: No ambiente da casa, não há dose segura de propofol.
    - Dr. Shafer: Quando Murray administrou propofol para a insônia de MJ, não havia nenhuma literatura médica sobre o propofol para a insônia.
    - Shafer: Eu teria rejeitado o artigo chinês para publicação em meu jornal - ele é o editor-chefe do "Anesthesia & Analgesia".É óbvio que o autores deste trabalho não têm nenhuma idéia sobre o Propofol ou insônia.Não mencionada dosagem exata, a evidência não é adequada p/ reivindicar, a segurança não pode ser baseada em apenas 64 pacientes. O estudo não provou suas alegações, nunca teria sido aprovado pelo FDA.
    - Shafer descreveu 17 diferentes violações flagrantes padrão de atendimento. Para ele foram inconcebíveis e antiéticas. Walgren lista todos os 17 flagrantes violações de padrão de atendimento. Dr. Shafer confirma que cada uma destas 17 violações flagrantes poderia ter causado a morte de Michael Jackson.
    - Dr. Shafer lê a partir do juramento de Hipócrates ... "Em cada casa onde eu for, eu vou entrar só para o bem dos meus pacientes".
    - Dr. Shafer: Quando o Dr. Murray concordou em tratar a insônia de Michael com Propofol,ele estava colocando o Dr. Conrad Murray em primeiro lugar, não Michael!

    OBS: Agora as sessões do julgamento começarão às 13:54 (no horário de verão). Amanhã começam os depoimentos das testemunhas de Defesa.

    14º DIA DE JULGAMENTO - (20/10/2011)


    - (Narração: Terra) O depoimento do Dr. Steven Shafer, especialista em Propofol, continua nesta quinta-feira (20)
    - A acusação de Conrad Murray apresentará uma sequência de slides sobre o Propofol. A acusação de Conrad Murray apresentará uma sequência de slides sobre o Propofol
    - Steven mostra, através dos slides, o caminho que o Propofol faz dentro do organismo do paciente.

    (@MJNABrasil- Dr. Shafer: Os medicamentos primeiro vão para o fígado e depois para todos os outros lugares.)

    - Documentos mostram a quantidade de Propofol em mg que é usada em anestesias de humanos e a quantidade usada em animais

    (MJNABrasil - Dr. Shafer: O propofol é metabolizado em dois lugares diferentes. Nós, recentemente, .decobrimos isso. Há 0% de possibilidade de que MJ tomou por via oral.

    - Dr. Steven reforça que os slides e documentos provam que o Propofol não deve ser usado via oral. Steven mostra que em teste realizado com cachorros e macacos que foram postos a consumir o Propofol via oral, a medicação só aparece na corrente sanguínea de 0,25% deles.
    - Steven diz que, em suas crenças pessoais, teme que o fato de ter sido divulgado que Michael Jackson tomou Propofol via oral possa incentivar as pessoas a fazê-lo também
    - "O Propofol deve ser usado via venal para manter a anestesia. Anestesistas sabem como usá-lo da forma correta", fala Dr. Steven Shafer

    15h01 Julgamento entra em recesso de 15 minutos

    - Dr. Steven Shafer volta a mostrar gráficos para comprovar que Michael Jackson tomou uma dose muito maior de Propofol do que a alegada por Conrad Murray
    - Promotores tentam mostrar ao júri que Conrad Murray não estava equipado para lidar com uma situação de emergência quando tratou Michael Jackson
    - Explicando melhor o caminho do Propofol no organismo, Steven diz que não há absolutamente nenhuma chance de Jackson ter morrido por causa da ingestão de Propofol, como alegou a defesa, porque 99% da droga teria sido removida pelo fígado antes de entrar na corrente sanguínea
    -"Para atingir a concentração da droga encontrada no sangue de MJ durante a autópsia, o cantor teria que receber 40 vezes a quantidade que Murray afirma ter administrado", explica Dr. Steven Shafer
    - Shafer também afirma que a quantidade de Lorazepam encontrados no estômago de MJ foi inflado porque inclui a forma metabolizada da droga
    - Shafer, que também é um especialista em Lorazepam testemunhou que a quantidade da medicação encontrada no estômago de MJ era trivial, o que contraria o argumento da defesa de que o cantor causou sua própria morte por ingestão de 8 comprimidos de Lorazepam enquanto Murray estava fora do quarto
    - Dr. Shafer mostra uma tabela dos níveis de propofol no corpo de Michael Jackson. O anestesista explica que o medicamento chega ao seu pico no cerèbro do paciente quando o nível do propofol no sangue iguala ao do cerébro.
    - O médico explica que todos os remédios aplicados em Michael jackson tem o potencial de causar uma parada respiratória no paciente
    - O Dr. Shafer afirma que Michael Jackson recebeu mais do que 25 mg de Propofol, basenado-se na tabela mostrada no julgamento
    - O anestesista diz que, baseado na tabela, esperaria que Michael Jackson parasse de respirar entre 1 a 4 minutos depois de aplicar propofol
    - O anestesista acredita que foi aplicado 50 mg de propofol em Michael Jackson

    16h57 Recesso para almoço. Julgamento volta em 1h45

    18h54 Julgamento de Dr. ConradMurray volta do recesso. Dr. Steven Shafer, anestesista especializado em propofol, é ouvido pela promotoria

    - Dr. Shafer apresenta sua versão dos fatos. Ele diz que 100 mililitros de Propofol foi aplicado em Michael Jackson
    - Dr.Shafer diz que se Dr. Murray tivesse com Michael Jackson, ele iria notar a redução da respiração do cantor e ver que sua língua impedia a passagem de ar. "Se ele tivesse visto isso, ele teria reduzido a administração de Propofol", conta
    - "Ele morreu com o Propofol sendo injetado em seu corpo, por isso que os níveis do anestésico na veia é alto", diz o anestesista
    - Dr. Shafer diz que sua versão é a mais próxima do cenário que aconteceu no quarto de Michael Jackson
    - "Se a injeção de propofol fosse parada no momento que ele parou de respirar, os níveis da droga no seu corpo seriam bem pequena", diz o especialista

    - Promotoria e defesa discutem. Dr. Murray parece nervoso

    19h45 Julgamento entra em recesso

    20h15 Voltado recesso. Promotor Walgren lê um texto

    - Dr. Shafer continua explicando como se monta o sistema de injeção de medicamwento por uma bolsa de soro
    - Michael Jackson estava ligado a um sistema semelhante quando recebia propofol no dia de sua morte

    @MJNABrasil
    - Walgren agora está basicamente fazendo uma síntese de todo o testemunho do Dr. Shafer.
    - Dr. Shafer: Conrad Murray foi responsável por cada gota de Propofol e Lorazepam no quarto.
    - Dr. Shafer: Murray é diretamente responsável pela morte de Michael Jackson, .mesmo que MJ tenha engolido comprimidos ou auto - injetado propofol.
    - A corte entrará em recesso e só retornará amanhã em torno de 17h45(horário de verão). Não haverá sessão na parte da manhã em LA.

    15º DIA DE JULGAMENTO - (21/10/2011)

    (@MJNABRasil)

    - Walgren vai questionar Dr.Shafer brevemente antes da defesa iniciar. Walgren pergunta ao Dr. Shafer sobre o relatório de toxicologia.
    - Shafer explica os níveis da droga no relatório toxicológico foi apenas para as drogas e não para seus metabólitos.
    - Dr. Shafer: Alguém morrendo com os olhos abertos ou fechados não faz diferença. Isso não significa uma morte rápida ou lenta.
    - Dr. Shafer explica que o cenário com um gotejamento contínuo não inclui a possibilidade de Michael Jackson acordar.
    - Dr. Shafer: mesmo se Michael Jackson acordou e despinçou a tubulação IV, sua opinião não mudaria sobre a responsabilidade direta de Murray.
    - A defesa de Murray assume os questionamentos a Dr. Shafer. Chernoff está perguntando novamente sobre farmacocinética e farmacodinâmica.
    - "Eu não entendi quase nada que você disse nos últimos dois dias." -Ed Chernoff para Steve Shafer
    - Chernoff está falando da demonstração de ontem por Shafer. Shafer disse que sua opinião é que o gotejamento IV foi criado em 25 de junho.
    - Shafer confirma que segundo ele, todas as evidências nesse caso se encaixam com sua opinião.
    - Chernoff está tentando mostrar que a configuração IV de ontem é diferente do que Murray tinha comprado.
    - Chernoff está criticando a demonstração de Shafer porque Shafer não usou o mesmo modelo de configuração IV como o comprado por Murray.
    - Dr. Shafer está explicando novamente o que ele demonstrou ontem, sobre as linhas.
    - Dr. Shafer: não, está errado, você tem erroneamente as provas, esta não é a evidência.


    - (Terra) Dr. Shafer explica que há duas maneiras de abrir um frasco de propofol: com uma agulha ou um "furador" ligado ao tubo intravenoso. Dr. Shafer diz que Dr. Murray aparenta ter usado a segunda opção para aplicar o anestésico em Michael Jackson
    - Advogado Chernoff discute com Dr. Shafer se o anestesista entende que ele está testimoniando baseado em suas opiniões e não em fatos. O especialista diz que 'sim'. "Estou dando minha interpretação do que aconteceu no quarto de Michael Jackson"
    - Dr. Shafer afirma que achou um único tubo intravenoso com entrada de ar em Los Angeles disponível para compra. Ele afirma que deve ser o mesmo equipamento usado por Dr. Murray em Michael Jackson
    - Advogado Chernof implica sobre o calibre da agulha provavelmente usada por Dr. Murray em Michael Jackson e a agulha usada por Dr. Shafer para demonstrar sua interpretação do que aconteceu no quarto do astro pop

    - (@MJNABrasil) Chernoff aponta que Shafer usou uma seringa de 20cc e só foram encontrados seringas de 10cc na cena. Shafer diz que é irrelevante.

    - (Terra) Advogado Chernoff pergunta como Dr. Shafer comprou os equipamentos usados para sua demonstração no julgamento
    - Dr. Shafer confirma os materiais e evidências que recebeu para depor no julgamento de Dr. Conrad Murray
    - Dr. Shafer diz que leu todo o material que recebeu antes de escrever o seu relatório sobre o julgamento
    - Advogado Chernoff pergunta se o especialista conheceu Alberto Alvarez, segurança eu encontrou Michael Jackson e Dr. Murray no quarto do astro. Dr. Shafer usou o depoimento do segurança para escrever seu relatório. O anestesista diz que nunca o conheceu
    - Defesa pergunta sobre todos os passos de demonstração de aplicação de Propofol em um paciente feito por Dr. Shafer
    - Defesa pede um tempo para reformular suas perguntas. Promotor Walgren pede para conversar com juiz Michael Pastor. àudio é cortado

    - Dr. Chernoff revisa vida acadêmica e profissional de Dr. Shafer

    - 19h30 Juiz Michael Pastor dá recesso de cerca de 15 minutos

    20h01 Julgamento volta do recesso

    - Depois de muita confusão sobre as perguntas do advogado Chernoff e as respostas de Dr. Shafer, juiz pede para conversar com a defesa
    - Dr. Shafer diz que ao estudar os efeitos de Propofol ele tomou 20 mg do anestésico
    - Dr. Shafer diz que no depoimento de Dr. Murray o médico diz ter medicado Michael Jackson com lorazepam e midazolam por oito dia
    - Dr. Chernoff pergunta sobre os níveis de propofol encontrados no cerébro de Michael Jackson no momento da autópsia. Ele checa no relatório do IML de Los Angeles

    21h10 Julgamento entra em recesso para o fim de semana

      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 5:14 pm